(48) 9911 - 72097
   Entre em contato
   Chat offline
   Faça login
Turismo na Ilha de Marajó
Veja os encantos da maior ilha fluviomarítima do mundo, que é  formada por 15 municípios, com belas praias, águas calmas e brancas dunas e uma grande variedade de pássaros e peixes. Marajó é maior que a Suíça, Holanda ou Estado do Rio de Janeiro 
Publicado em
02 de novembro de 2019
4

Por Adoniran Peres

Estar em Belém é um convite para mais viagens pela região amazônica. De frente para Belém, em uma distância 83km, no extremo norte do Pará, está Marajó, com suas mais de 400 ilhas, rodeada pelos rios Amazonas e Tocantins e pelo oceano Atlântico. 

Marajó é a maior ilha fluviomarítima do mundo, formada por 15 municípios, com belas praias, águas calmas e brancas dunas e uma grande variedade de pássaros e peixes. Para ter uma idéia do tamanho da Marajó, é maior que a Suíça, Holanda ou Estado do Rio de Janeiro. Apenas uma parte da Ilha, ao leste, está aberta ao turista e tem fácil acesso. Lagos, manguezais, igarapés, sítios arqueológicos, pântanos e praias de rio compõem o cenário.

 

Para chegar até lá deve sair de barco ou balsa pelo porto Estação das Docas, em Belém, que duram entre duas e quatro horas, dependendo do barco e da maré. Na viagem poderá vivenciar um pouco mais da Amazônia, com a imensidão do rio e matas. A chegada será no principal porto deMarajó, o da cidade de Salvaterra. Basicamente, os atrativos para os turistas estão na cidade de Soure e Salvaterra. Nestes, ao passear pelas cidades e encontrar o povo de Marajó, você interage com a riqueza da cerâmica, com as cores dos ornamentos, com as danças típicas, como o Carimbó e o Lundú e saboreia os pratos da deliciosa culinária.

 

Diversão

Que tal passeio no lombo de um Búfalo, de canoa pelos igarapés, através de cocais e manguezais e se hospedar em hotéis e pousadas em meio a muito verde? Marajó promove experiências únicas. Entre as várias opções de passeio está a Fazenda São Jerônimo, em Soure. O local foi escolhido pela produção do programa No Limite 3, da rede Globo, em 2001.

Simbolos da ilha, os búfalos são vistos em grandes manadas nas extensas planícies ou dispersos nas modestas áreas urbanas, onde são usados como táxi e montaria para a polícia. Uma experiência interessante é montar no lombo dos animais pelas matas locais. 


Entre mais alternativas tem a pesca e a focagem de jacarés, passeio no mangue, feito sob pontes construídas com bambu. Os fãs dos esportes de aventura também

 

se divertem na área com a prática de caminhadas na selva, rafting e ciclismo pelas praias. Algumas pousadas disponibilizam bicicletas e orientam sobre as outras práticas. O passeio de canoa à remo até a praia de Araruna e caminhada à pé até a praia da Barra Velha custa R$ 60,00, com duração de 2hs.

 

As principais atrações são as praias do Araruna, Praia do Pesqueiro e Praia Grande, o Museu de Marajó. Fato é que os búfalos - cerca de 500 mil, mais numerosos que os marajoaras - serão presença constante. Até na refeição. Na carne, no leite e no queijo - também conhecido como queijo marajoara.

 

Como opções de hospedagem, a cidade de Soure e Salvaterra oferecem hotéis e pousadas com diferentes valores. A culinária, o folclore e a dança também são atrativos ímpares desse lugar.

 

Curiosidades
Cercada pelo oceano Atlântico e pelos rios Amazonas e Tocantins, a Ilha de Marajó também é palco da “pororoca” - fenômeno de formação de ondas gigantescas no encontro das águas fluviais e marinhas (encontro entre rio e mar). A ilha abriga o maior rebanho de búfalos do Brasil, com cerca de 700 mil cabeças, quase o dobro da população que somam em aproximadamente 400 mil habitantes.

 

Danças

A cultura marajoara também se faz presente nas apresentações de danças folclóricas, como carimbó e lundu. Em algumas pousadas da região é possível ver as apresentações, que faz o maior sucesso com os turistas e até arriscam em algumas coreografias. Autênticos da região, os passos foram inspirados em manifestações de origem africana e indígena.

 

Clima
Entre os meses de junho a janeiro são épocas ideais para visitar Marajó, já que  neste período o clima está mais seco e os passeios ficam mais acessíveis. Fora esse período o clima na Ilha é de chuva constante e Marajó fica praticamente alagada devido ao alto índice pluviométrico.  Isso resulta em duas estações, a mais chuvosa e a menos chuvosa – o que altera totalmente a paisagem.

 
Sobre nós
 
O JIT (Jornal Internacional de Turismo) é um veículo de comunicação (impresso e online) voltado para os profissionais do turismo e público final. Com mais de 16 anos no mercado, o JIT está presente nas principais feiras de turismo e eventos do Brasil e exterior. Além disso, está presente na divulgação dos principais destinos turístico do Brasil e exterior. 
Faça contato
 
  [email protected]                     [email protected]
  (48) 99117-2097
  (48) 4042 - 2318
  Florianópolis (SC)
Encontre-nos
 
Home   •   Topo   •   Sitemap
© Todos os direitos reservados.